segunda-feira, 1 de junho de 2009












Desci a Avenida da LIBERDADE
Com o sangue a correr-me nas veias.
Com ele fervilhando, subi-a.
Voltei a descê-la juntinha àquela gente do Norte
Que, a qualquer um, imprime uma força imparável.



2 comentários:

Professorinha disse...

E com quanto orgulho!!!

Bjs

Alcides disse...

Força! Estou convosco!